Funcionou de 05/06/2005 a 29/07/2009

 

CONTADOR LACRADO

 

Não posso deixar minha literatura
Dependente de número de acesso
Seria para ela tortura e retrocesso
Da internet só quero o endereço
E o apreço do internauta sensível
Por isso, apago as luzes da ribalta pueril
Lacro agora o contador em cem mil
Ciente de que o louvor que procuro
É fruto de tempo aos molhos
Que sobre a literatura por que luto
Um dia debruçará seus olhos