Carlos Drummond de Andrade
Rio de Janeiro, 15 de junho de 1977

Prezado Carlos Lúcio Gontijo: "Ventre do Mundo" está aqui sobre a mesa, com a sua carta informativa e simpática. Obrigado pela lembrança gentil. Um livro de poemas e aforismos que se esgota em quinze dias é sinal de que o seu autor soube dar o recado. E você o deu numa forma gráfica elegante e nova. Deve estar contente. Parabéns, e vá em frente, xará.O abraço e a simpatia cordial de Carlos Drummond de Andrade.

 

Celso Brant
Professor de Direito, Jornalista, Escritor e Político

Quem lê os romances-poesia de Carlos Lúcio Gontijo percebe, claramente, que o objetivo de sua ficção e, através de uma crítica social arguta e bem tecida, a busca por uma porta, através da qual os deserdados da sorte possam entrar.


Elisa Augusta de Andrade Farina
Professora filósofa, escritora e poetisa.

"Parabéns, Carlos Lúcio Gontijo, pela luta incessante em prol da Literatura e magia poética. Só os fortes ou "loucos" conseguem ter forças suficientes para ganhar essa batalha, que parece tão fácil e sabemos ser árdua e inglória".

 

 

Aluísio Pimenta
Ex-ministro da Cultura e ex-reitor da UFMG e UEMG É membro da Academia Mineira de Letras

Li e reli com muito gosto. Adorei como diz a meninada de hoje. Versos de grande beleza, graça e sensibilidade, grande criatividade e profundamente humanos. A gente começa a ler e não consegue parar...


 "A indiferença e a ignorância são coisas que dissolvem com a incansável persistência e bela literatura que você proporciona aos seus leitores".

(VERA LÚCIA GONTIJO - Pintora, irmã do autor Carlos Lúcio Gontijo, que emprestou seu talento de ilustradora ao romance "Jenipapo no ponto").

Antônio Salazar Fagundes
Escritor

"Aí estão, belos e profundos ensinamentos, do poeta e romancista mineiro Carlos Lúcio Gontijo, em forma de poesia e prosa, e, pasmem, de um artista vivo, pois como sabemos depois da morte a inveja maior se vai, quase todos ficam maravilhosos, até quem não merece".

 

Verdejando vida em jornal
Vinícius Fernandes Cardoso

O escritor e jornalista Carlos Lúcio Gontijo lançou “TEMPO IMPRESSO”, calhamaço que recolhe sua trajetória jornalística. Um punhado de gente venceu o frio e o deslocamento a fim de prestigiar o lançamento de “TEMPO IMPRESSO” (edição do autor ilustrada, formato A4, 387 páginas),CONTINUE LENDO...

William Santos
(Jornalista - jornal Estado de Minas)

"Carlos Lúcio Gontijo, você tem que se candidatar à Academia Mineira de Letras. A tchurma tem que respeitar a sua obra. Construída no silêncio das montanhas de Minas, sem o eco de instituições de que parte deles foram alcançados pelas artificialidades".

 

Gabriel Bicalho
Poeta e Escritor

Eis, Carlos Lúcio Gontijo,
escritor que traz bagagens:
mesmo dócil, faz-se rijo,
doma palavras selvagens!

Carmo Vasconcelos
Poetisa. Directora Cultural da Revista eisFluências Lisboa/Portugal

Palavras se fazem poucas para a grandeza do escritor e poeta, Carlos Lúcio Gontijo, que honra o panorama cultural do seu país e alarga a mente de quem o lê, na sua pátria e além-fronteiras.


Ógui Lourenço Mauri é poeta residente em Catanduva/SP.

Carlos Lúcio Gontijo é um autor avesso à mesmice. Impressiona-me a riqueza de detalhes, sempre renovável, que sai de seu veio poético inesgotável e posto para nós em prosa e verso. Se de início fui seu leitor, pouco demorou para eu compreender que, de sua obra, sou, antes de tudo, um aprendiz.
Parabéns ao Jornalista, Escritor, Poeta e... Amigo!

Clélia Souto
Primeira professora do autor e prefaciadora do livro "Pelas Partes Femininas".

Carlos Lúcio, você lutou, venceu e vai brilhar ainda muito mais, pois tem luz própria como o sol. Nada vai apagar a claridade que vem de dentro de você e que o acompanhará para sempre, sem se intimidar com as intempéries do dia a dia.


Valéria Lúcia da Silva
Jornalista.

Completamente impressionada , apaixonada e cativada com o talento da obra Jenipapo no Ponto, do jornalista, autor e escritor, ex-colega de Diário da Tarde, Carlos Lúcio Gontijo. Gente, é uma delícia ler esse livro. Faz bem pra  saúde do corpo e da alma. Essa mãe, onde estiver, está imensamente feliz, emocionada e envaidecida, com essa homenagem Ímpar e sensível do filho famoso e tão querido por todos que o conhecem. O texto é puro, preciso, afiado, dói mas alegra, delicado, tem propriedade, sentimento, emoção, profissionalismo e o mais importante pra mim: é pura poesia na veia. Que viagem amigo Carlos Lúcio Gontijo. Reverências ao seu talento, à sua história, à sua dignidade, ao seu exemplo. Não sei como ainda não está em Capela junto anjos de espírito.. Porque sabedoria, humanidade, pureza, inocência, virtudes e evolução vc já adquiriu pra toda uma existência. Abraço forte. Val Flores. Sua ex-eterna diagramadora de Opinião no Diário da Tarde.

 

Efigênia Coutinho - Poetisa, fundadora e presidente da Academia Virtual Sala de Poetas e Escritores (AVSPE). Balneário Camboriú/Santa Catarina
A poesia do escritor Carlos Lúcio Gontijo, cultivada no fundo da terra, onde brota a natureza da alma, fascina pela essência em sabedoria, que transforma seus versos em palavras transcendentais à vida. E expressadas num dos estilos mais belos de toda a Literatura Contemporânea. O estímulo dos seus pensamentos, a profundidade e a riqueza de seus conceitos, nos acompanharão como \"PROFECIAS"\ duma existência aqui vivida! 

Magnus Martins Pinheiro
Jornalista e professor universitário (Teresina – Piauí)

O tempo é retilíneo. Ele não volta e também não para; é reto, sempre reto. Não existe, na essência da vida de qualquer SER humano (de ninguém de verdade), nadinha de nada IMPONDERÁVEL. Nem mesmo a morte; ela é inexorável.
Nós precisamos é saber viver espiritualmente a nossa vida dentro da constante efervescência deste nosso mundão. A vida é um contínuo aprendizado. Você, amigo Carlos Lúcio Gontijo, pragmaticamente, nos lega que “a melhor forma de ensinar é SENDO e a melhor forma de aprender é FAZENDO”.
Tenho uma bem-querença enorme por você, meu mestre!

 

Regina Morelo
Escritora e poeta - Belo Horizonte e Tocantins/MG
Caro Carlos Lúcio Gontijo: Já de longa data, conhecemos os clamores de quem tem a coragem de oferecer néctar a quem já se acostumou a ingerir veneno. Vivemos realmente numa sociedade onde literatura é coisa "boba". Contudo, quem não aprecia uma boa leitura, tem total interesse por músicas tais como: "Eu quero o tiu... eu quero o tiá", onde vão ao delírio com Michel Teló e tantos outros que a mídia abraça e valoriza e o povo embarca nessa canoa furada, jogando merda na cabeça, perdendo a oportunidade de ser alguém melhor. São infelizmente, os novos tempos. E contra essa enxurrada de besteiras, pouco ou quase nada podemos fazer. A avalanche é muito pesada para ser contida por poucos braços. Você e outros poucos idealistas são heróis que não se deixam abater por essa crise de pobreza intelectual. É o que eu posso dizer.

José Carlos Alexandre
Jornalista

A obra literária de Carlos Lúcio Gontijo é verdadeiro "Coquetel Molotov", é nitroglicerina pura, ao subliminarmente nos induzir a condenar a discriminação em todas as suas odiosas formas(...).


Berenicy Raelmy Silva
Psicóloga e Jornalista

Só pode ser de seu primeiro livro (Ventre do Mundo), repleto de lirismo e antíteses como esta: “um dia o riso lhe veio, mas ele o enxugou pensando ser pranto”, que nasceu toda a obra literária de Carlos Lúcio Gontijo.


Therezinha Casasanta
Escritora

Com habilidade artesanal, consciência social e profunda visão de mundo, "...fiando assunto linha afora", Carlos Lúcio Gontijo vai envolvendo e provocando o leitor.
"Há duas espécies de livros: uns que os leitores esgotam, outros que esgotam os leitores" – diz-nos Mário Quintana. Os de Carlos Lúcio estão sempre entre os primeiros.


José Ulisses de Oliveira
Ex-deputado e ex-secretário de Estado de Minas Gerais

Carlos Lúcio, no romance "Cabine 33", você escreveu que o tempo vai passando e nos arrastando, por isso devemos procurar a retenção do controle da vida em nossas mãos, cuidando de nosso próprio núcleo de convivência.
Você traduz a alma clarificada de Santo Antônio do Monte, nossa terra, mil vezes extremada e querida, pela qual – como lhe disse certa feita – merecidamente não será esquecido, eternizado na imortalidade de sua obra ficcionista de escritor.

José Egydio Farinha
Jornalista, Folclorista, Ensaísta e Crítico Literário

Poesia anunciadora, diferente, algumas vezes agressiva, no bom sentido, incomum até na sua formulação e original no seu ritmo e, sobretudo, trazendo em cada palavra uma imensa mensagem de humanidade, de protesto, de crítica e de profunda ironia.


Harildo Norberto
Poeta e Jornalista

Carlos Lúcio Gontijo não nos destila nenhuma rebeldia estéril: mostra-nos um pedaço do mundo, mas tão pleno de poesia que é aquarela que nos induz a uma tomada de posição generosa e fértil diante da vida.


Bueno de Rivera
Poeta Mineiro, Natural de Santo Antônio do Monte

Carlos Lúcio Gontijo possui uma linguagem própria, sem escolas e sem influência. Inventa. É apenas poeta, com um compromisso muito sério com a criação.

Valter Alves Lima
Jornalista

Aqui, desejo expressar minha admiração pela tenacidade, pela garra que Carlos Lúcio Gontijo revela no seu fazer literário, na sua intenção de levar ao público essa mensagem de afeição e de esperança nas potencialidades do homem brasileiro. Sabe como poucos manejar essa língua portuguesa tão sofrida quanto seu povo. Utiliza seu talento literário como se estivesse esgrimindo com as palavras, vibrando golpes certeiros e contundentes na consciência do leitor. São substantivos, adjetivos e verbos empregados com precisão, de forma expressa e enriquecedora de situações, que, em mãos menos hábeis, passariam por banais.