Quando quero contar sobre mim, são livros o que conto!

       LUARA NINA, a primeira de minhas três netas a vir a este mundo de meu Deus, tem baile de formatura (Veterinária) no dia 13 de janeiro de 2024. Todavia, não pretendo aqui exaltar a conquista representada na conclusão de um curso superior, mas grafar palavras de reconhecimento com a tinta e as cores tão bem derramadas pela união entre a avó NINA e a neta LUARA, que agora recolho como abelha recolhe néctar de flor, para expor a beleza de uma história de puro e licoroso amor.

       Como seixos unidos na correnteza de rio durante forte tempestade, as duas se imbuíram no cumprimento de uma missão, com Nina emprestando toda a sua capacidade intelectual e experiência didática de ex-professora à neta, que diante da disponibilidade e esforço da avó se viu estimulada e sem direito ao esmorecimento e ao desânimo tão comuns na adolescência.

       No início do curso, Luara ia à faculdade em condução que levava um punhado de estudantes até a cidade de Bom Despacho, mas não demorou a chegada de horários diferentes e aulas práticas, que não batiam com o horário do transporte contratado – isto tudo embolado e ainda mais complicado com o advento da pandemia Covid-19, impondo tanto incerteza quanto insegurança.

       Nina passou então a levar a neta Luara, mesmo sofrendo o início de dores no joelho direito, que se agravavam com a longa espera no estacionamento da instituição de ensino, onde sempre se fazia ocupar na leitura de algum livro enquanto aguardava pacientemente o término diário das aulas.

       Depois, Luara tirou habilitação, mas não tinha experiência suficiente ao volante de um carro, e Nina continuou acompanhando a neta até ela ganhar confiança de tomar estrada sozinha, sob a indispensável proteção do Criador.

       Durante o transcorrer do curso, debrucei-me muitas vezes na janela do avarandado do encantamento, observando-as no desenvolvimento de trabalhos solicitados pelos professores e professoras do curso de Medicina Veterinária: eram efetivamente duas alunas, vibrando com o aprendizado, o sucesso obtido nos períodos de estágio, constituindo um horizonte de duas almas tão imenso que acredito não haver escuridão neste plano espiritual terrestre capaz de lhes apagar a chama da lareira de amor, cumplicidade, compreensão e entrega que mantiveram acesa durante os últimos cinco anos.

       Posso afirmar (sem qualquer temor de estar incorrendo em danoso equívoco) que Luara, além de graduar-se Veterinária, chegou ao elevado grau cordiforme de doutora e mestre, juntamente com a avó Nina, na ciência de UMBILICAL E INDESATÁVEL NÓ DE ALMAS GÊMEAS.

       (Observação: Arrebatado e inspirado pela demonstração de parceria e competência das duas, eu escrevi no período cinco livros).

Carlos Lúcio Gontijo

Poeta, escritor e jornalista

www.carlosluciogontijo.jor.br

06 de janeiro de 2024.